Neste blog compartilho páginas de minha vida. Exponho minhas experiências, aprendizados, interesses, preferências, críticas, opiniões e também o meu dia-a-dia.
Ainda postarei a minha penosa aventura em busca do corpo perdido. Sigam-me os bons!!

quinta-feira, 31 de março de 2011

MARTHA MEDEIROS - a mulher rendeira

Quando morei em Natal-RN, ainda pequena, ficava horas encantada observando as empregadas da minha casa fazendo rendas de BILROS. Parecia que toda mulher potiguar sabia fazer aquilo. Era impressionante a rapidez de manuseio daqueles palitinhos que se mexiam e se entrelaçavam fazendo um barulhinho gostoso e aos poucos iam formando um lindo desenho floral por cima de uma espécie de almofada cheia de alfinetes. Eu achava que aquilo era mágica!!


Renda de bilros

Hoje esta mesma renda, que antes só era vendida como toalhinhas e colchas, vem chamando atenção e sendo valorizada, tanto pela moda nacional quanto internacional. Estilistas como Martha Medeiros se destaca agregando valor e elegância à renda artesanal, dando vida a peças que são verdadeiros artigos de luxo e estão ganhando o mundo.

Ferrenha defensora do trabalho artesanal de rendeiras do interior do Nordeste,  a estilista alagoana, dona da grife "Maison M", mistura as características regionais do bordado com elementos da alta-costura, obtendo nesse mix roupas que refletem a beleza em movimento.


Ela diz juntar a preciosidade da renda feita à mão (hand made) com o aviamento, acabamento e corte da alta-costura francesa numa linguagem contemporânea. O resultado é fascinante, e o que confere exclusividade às peças é a customização que a renda permite, desde a escolha da cor, dos fios, das pedras e cristais que podem ser aplicados.  
A maneira inovadora da estilista consegue um efeito sofisticado e surpreendente, numa composição que se encaixa perfeitamente no perfil feminino.  O resultado de um entrelaçamento de fios de linho, seda, algodão e ouro trazem a renda como um produto elaborado a partir de um processo de criação em que a imaginação não tem limites.

A grife utiliza basicamente três tipos de renda, sendo elas:

Renda Filé: feita a partir de uma rede de pescador
Renda Renascença: é a mais utilizada e tem sua trama executada a partir de um desenho riscado em papel manteiga, fixado em uma almofada e executado com algulha comum, utilizando fita e lacê para unir as tramas.
Renda Singeleza: é a mais frágil e a mais fina de todas, é toda trabalhada com linhas e palitos de palha.

 Maison M

E é do atelier de Martha, em Alagoas, que saem as criações para lojas do Oriente Médio, EUA, Inglaterra, Portugal e Alemanha.
Na originalidade de sua trajetória, Martha Medeiros é referência absoluta.

 A HISTÓRIA 

“Há mais de 25 anos no mercado da moda, Martha é proprietária da boutique multimarca Maison M em Maceió. O nascimento de sua marca própria seguiu um percurso natural, pois a pedido de suas clientes começou a criar algumas peças para ocasiões especiais. Em 2004, a marca Martha Medeiros ganhou um corner em sua loja e com a crescente demanda de clientes de todo o Brasil,  no  início de 2008,  começou a  atender com hora marcada em São Paulo. No final do mesmo ano, inaugurou sua primeira boutique na capital paulista, no bairro dos Jardins.”
“A paixão por arte e artesanato é muito antiga, herdei da minha avó, professora de arte. Depois de 25 anos vivendo e respirando moda, percebi que nossas clientes mereciam muito mais e o desejo de torná-las únicas, vestidas com o verdadeiro luxo moderno, é o nosso principal desafio”, diz Martha Medeiros.
O resgate de riquezas do nosso país foi o caminho encontrado pela estilista que trabalha com cooperativas de rendeiras localizadas às margens do Rio São Francisco. Matéria prima feita pelas mãos de quase 200 mulheres, que realizam a confecção da renda, com técnicas que vêm de geração em geração.
Do mandacaru, cactos típicos da região, saem os espinhos que nas mãos das artesãs, se transformam em alfinetes que servem como guias para a trama das rendas de Bilro. A renda Renascença é inteiramente feita com agulha e linha da mesma espessura da linha de pregar botões. Um vestido de Renascença pode exigir sete, oito meses de trabalho das mãos de uma única rendeira. Assim Martha Medeiros uniu a riqueza do trabalho feito a mão, à sofisticação da alta costura.
Martha produz vestidos de noivas e coleções com vestidos longos e curtos. Os bordados de pedraria, corais, turquesa e cristais também marcam seu trabalho. Os caftans, batas, camisas e acessórios completam a coleção.”
(Fonte: Martha Medeiros)




2 comentários:

  1. Lindos e maravilhosos.

    ResponderExcluir
  2. Fico impressionada como o ser humano é capaz de criar coisas maravilhosas. Parabéns à todas as artesãs!!!

    ResponderExcluir